20 de mar de 2010

Problemas no relacionamento levam ao aumento do estresse diário

Pense na última briga que você teve com alguém próximo. Como você se sentiu depois? Como se comportou? O conflito com uma pessoa querida leva, muitas vezes, a um sentimento ruim e a um consequente comportamento errôneo, como bater a porta de forma violenta ou sair com os amigos pra beber uma cerveja e “afogar as mágoas”. Mas como isso afeta as pessoas realmente? Um estudo publicado no periódico Biological Psychiatry sugere que a parte lateral do córtex pré-frontal – uma estrutura do cérebro ligada, entre outras coisas, às respostas afetivas – pode ajudar as pessoas a controlarem suas reações emocionais intensas que ocorrem quando uma pessoa interpreta de forma equivocada a expressão facial do parceiro. Brigas podem se refletir em comportamentos impulsivos Christine Hooker e outros pesquisadores observaram adultos saudáveis com relacionamentos estáveis. No estudo, esses indivíduos eram convidados a observarem fotos do rosto de seus parceiros interpretando expressões faciais amigáveis, negativas e neutras. Paralelo a isso, os participantes preenchiam um diário descrevendo quando havia brigas com o parceiro, quando os humores estavam abalados, quando havia sentimentos de mágoa ou mesmo abuso de uso de drogas lícitas ou ilícitas. O que os pesquisadores descobriram, após compararem os dados, é que era possível prever o nível de autorregulação – normalmente menos acurado – após um conflito cotidiano. A capacidade de autorregulação possibilita que as pessoas adotem padrões pessoais para lidar com problemas, além de monitorarem e regularem seus próprios atos por meio de reações conscientes. Isso era feito a partir das respostas dadas pelos participantes ao interpretar as fotografias de expressões faciais. Por exemplo, após uma briga, ao serem apresentados às fotografias no dia seguinte, os participantes classificavam mais negativamente as fotos. Isso indicaria que a parte lateral do córtex pré-frontal poderia estar desregulada e isso também se refletia em respostas mais intensificadas do impulso (como abuso de álcool ou mesmo comportamentos menos sociáveis de forma geral). O resultado disso tudo pode ser uma menor eficácia da comunicação interpessoal do casal, levando a mais brigas e mesmo violência física dentro do relacionamento. Relacionamento é porto seguro para o estresse diário Aprender a lidar com os estados emocionais negativos que podem surgir em alguma época de um relacionamento afetivo é importante, dizem os pesquisadores, pois isso se reflete no modo como as pessoas acabam lidando com o mundo ao seu redor. Os relacionamentos costumam, normalmente, servir de porto seguro para os estresses do dia a dia. Quando há uma briga, esses relacionamentos acabam potencializando situações estressantes já presentes. A consequência disso pode ser, a partir das conclusões da pesquisa, uma maior impulsividade que pode se refletir na violência doméstica, na bebida ou mesmo em comportamentos alimentares exagerados. O estudo demonstra como é importante traçar estratégias cognitivas e comportamentais que possam ajudar a lidar com esse tipo de problema. “Os resultados indicam que certos indivíduos podem estar mais vulneráveis a problemas de comportamento após situações estressantes na vida emocional”, observam os pesquisadores. Biological Psychiatry

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...