31 de ago de 2010

Farinhas que emagrecem

Quais são as vantagens?
Práticas, baratas e tão poderosas contra as gordurinhas quanto a famosa ração humana. Até a história é bem parecida: algumas farinhas de frutas e legumes desidratados surgiram com a finalidade de baixar a taxa de açúcar no sangue. Mas, aos poucos, se mostraram boas aliadas na perda de peso. Isso porque saciam (você se contenta com menos comida) e atrasam o esvaziamento gástrico (a fome demora para voltar a dar sinal). Outras ainda ajudam a equilibrar o metabolismo. E, para isso, basta polvilhar no alimento pronto. Fibras aos montes São várias as opções: farinha de maracujá, banana verde, berinjela, linhaça, frutas e cereais (veja detalhes a seguir). Algumas oferecem ômega 3, outras fitoquímicos como o resveratrol – substâncias que desinflamam as células, deixando o organismo menos propenso a acumular gordura. “Mas são as fibras, presentes nas farinhas numa dose surpreendente, que mais contribuem para o emagrecimento”, afirma a nutricionista e pesquisadora Andrea Dario, de Piracicaba (SP). São substâncias que amansam a fome, reduzem a absorção de açúcar e gordura, regulam o apetite e ajudam a eliminar as toxinas que emperram a dieta. Consumo diário As fibras fazem mais: aumentam a absorção das vitaminas e dos minerais, melhorando o funcionamento do organismo como um todo, o que também favorece a perda de peso. Mas o resultado só aparece se você consumir esse tipo de farinha todo dia, polvilhada no iogurte, no suco, na salada, na sopa. Importante: beba mais água para facilitar a ação das fibras e corte exageros à mesa. Feito isso, você vai entrar naquele jeans em poucos dias! Acerte na escolha Todas as farinhas são ricas em fibras, os principais agentes emagrecedores. Por isso, você decide a escolha. Ou melhor: faça um rodízio entre dois ou três tipos para garantir nutrientes diferentes ao organismo. - Dose ideal: “duas colheres de sopa por dia”, orienta Julia Vasconcellos, nutricionista da NutriCorp Consultoria Nutricional, no Rio de Janeiro. Caso seu organismo responda melhor a três colheres (medida sugerida pelos fabricantes), tudo bem. Mas não vá além. “Em excesso, as fibras dificultam o funcionamento do intestino”, alerta Andrea Dario. - Cuidado na compra: evite comprar o produto a granel ou em saquinhos sem identificação. Armazenadas de maneira inadequada, as farinhas, em especial aquelas que têm ômega 3, oxidam e se tornam inadequadas para o consumo. - Uso variado: algumas farinhas têm sabor neutro e outras levemente amargo. Nesse caso, use-as em farofa, panqueca, pão, bolo. Frutas, sementes e legumes em potes Conheça um pouco de cada farinha e escolha a sua: 1. Farinha de maracujá Ela impede a absorção de parte da gordura presente nos alimentos. A responsável por essa ação é a pectina, presente aos montes na parte branca da casca da fruta. A farinha não fica atrás: tem 20% dessa fibra solúvel, segundo estudo feito pelo químico e pesquisador Armando Sabaa Srur, da Faculdade de Nutrição da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). No estômago, a pectina se transforma num gel e diminui a fome. 2. Farinha de banana verde O forte dessa farinha é o amido resistente. Ele reduz a carga glicêmica da refeição evitando picos de açúcar no sangue e o aumento da produção de insulina – hormônio que, em excesso, faz o organismo estocar gordura. Os estudos ainda revelam que, no intestino, esse amido alimenta as bactérias do bem. Resultado: o intestino funciona melhor e perder peso fica mais fácil. 3. Farinha de linhaça Na forma de farinha, a linhaça se mostrou ainda mais eficiente para afinar a cintura. Isso porque o ômega 3, guardado dentro da semente, fica mais acessível e deixa as células menos inflamadas. Essa gordura boa ainda interfere na leptina – hormônio que controla o apetite. Triture a semente em casa para preservar o ômega 3. Outra opção é comprar a farinha estabilizada, mas, ainda assim, armazene-a num pote escuro e na geladeira. 4. Farinha de berinjela Com até dez vezes mais fibras que a berinjela in natura, a farinha ajuda a tirar a fome. Pesquisadores da UFRJ acompanharam dois grupos de mulheres que se submeteram a uma dieta hipocalórica. Um deles, no entanto, aderiu a farinha no dia a dia e teve mais facilidade de seguir a dieta, perdendo mais peso que o outro grupo. 5. Farinha de frutas e cereais Mix de casca de frutas (uva e maçã) e sementes (linhaça), ela concentra fibras e ômega 3. Quando chegam ao estômago, as fibras, especialmente as solúveis, aumentam os níveis de CCK (outro hormônio que controla o apetite). “Estudos recentes também mostraram que o ômega 3 pode equilibrar os níveis de insulina no organismo e, com isso, regular a leptina”, diz Andrea Dario Cardápio leve e rico em fibras Para acelerar a perda de peso, combine a farinha com um cardápio leve (1200 calorias). A nutricionista Julia Vasconcellos sugere usar uma colher de sopa no café da manhã e outra no lanche da tarde, na fruta ou no suco. Mas, se quiser, adicione-a na salada ou na sopa, no almoço e no jantar. Café da manhã* Opção 1 1 pote de iogurte de fruta light com 1 col. (sopa) da farinha (banana verde, casca de maracujá, frutas e cereais, berinjela ou linhaça) Opção 2 1 copo (250 ml) de leite de soja light batido com 1 fatia grossa de papaia (ou outra fruta) e 1 col. (sopa) da farinha Opção 3 1 fatia de pão integral light com 2 col. (sopa) de queijo cottage light e 1 fio de azeite 1 banana amassada (ou outra fruta) com 1 col. (sopa) da farinha * Chá ou café com adoçante à vontade Lanche da manhã Opção 1 6 amêndoas e 1 col. (sopa) de uva-passa Opção 2 1 banana passa e 2 castanhas-do-pará Opção 3 4 cookies integrais light Almoço Opção 1 Salada*: rúcula, agrião, alface e tomate-cereja 2 col. (sopa) de arroz integral 2 col. (sopa) de berinjela, abobrinha e cebola assadas com pouco azeite 1 posta média (100 g) de peixe assado, ensopado ou grelhado Opção 2 Salada: alface e beterraba cozida e temperada com molho de mostarda 2 col. (sopa) de purê de batata (ou 3 col./sopa de purê de abóbora) 3 col. (sopa) de picadinho de carne magra Opção 3 Salada*: alface, pepino e tomate 2 col. (sopa) de arroz integral 1 concha média de feijão 2 col. (sopa) de vagem e cenoura refogadas 1 filé médio (100 g) de frango grelhado ou cozido com tomate e cebola Lanche da tarde Opção 1 1 banana amassada com 1 col. (chá) de mel e 1 col. (sopa) da farinha Opção 2 1 fatia grossa de abacate com 1 col. (chá) de mel (ou adoçante), gotas de limão e 1 col. (sopa) da farinha Opção 3 1 pote pequeno de salada de frutas com 1 col. (sopa) da farinha Jantar Opção 1 1 prato (fundo) de sopa de legume (mandioquinha, abóbora ou beterraba) com frango desfiado Opção 2 Salada*: rúcula, tomate, pepino e rabanete 2 fatias de pão integral com 2 col. (sopa) de requeijão light misturado com atum light Opção 3 Salada*: alface, rúcula e agrião 3 col. (sopa) de legumes (chuchu, tomate, cenoura) cozidos 1 fatia pequena (80 g) de carne assada * Tempere a salada com 1 col. (sobremesa) de azeite, limão e pouco sal
Revista Boa Forma

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...