17 de ago de 2012

O negócio é jogar pôquer


Jogo de cartas mais popular do mundo sintetiza estratégias do mundo corporativo e traz importantes ensinamentos para executivos

Imagine uma partida de pôquer entre Barack Obama, Bill Gates e os militares da Guerra Civil Americana. A cena inspiraria um roteiro de filme, não fosse sua importância em momentos emblemáticos da história política e econômica dos Estados Unidos. O jogo de cartas difundido mundialmente ganha espaço nas mesas de negócios, ao reunir aspectos essenciais para a estratégia empresarial.

Apreciador do pôquer, o professor universitário, palestrante e profissional de treinamentos organizacionais William Shibuya tornou-se um especialista na associação do jogo com o mundo dos negócios. “Avaliação constante de risco e retorno no longo prazo, análise do ambiente competitivo, tomada de decisão com informações parciais, plano de comunicação e inteligência emocional. Todas essas características estão nas mesas de pôquer, de maneira integrada e ampla”, diz.

O pôquer também contribui para exercitar as habilidades estratégicas de forma intensiva ao aplicá-las a um plano, descobrindo erros e se ajustando à realidade. “Você pode abandonar a mão, continuar do jeito que está ou aumentar a aposta. Os jogadores qualificados não investem em situações em que o ganho esperado ou o risco não compensa, mas agem agressivamente quando o cenário é favorável”, exemplifica.

Militares, políticos e empresários

Há exemplos clássicos da utilização do pôquer em diversas áreas:

•    Líderes militares da Guerra Civil Americana (1861-1865), Robert Edward Lee e Nathan Bedford Forrest exploravam táticas do jogo para vencer adversários em inferioridade ou forçar a rendição usando o blefe. 

•    O plano de recuperação econômica lançado após o crash na Bolsa de Valores em 1929 foi batizado como New Deal, expressão que representa a redistribuição das cartas no pôquer, o que renova as esperanças dos perdedores.

•    O caminho do presidente do norte-americano Barack Obama até a Casa Branca teria começado em sessões semanais de pôquer no estado de Illinois, ao lado de democratas e republicanos, como forma de quebrar resistências entre os políticos locais.
 
•    O CEO da Microsoft, Steve Ballmer, revelou que o plano de negócios da gigante da informática foi concebido em noitadas de pôquer ao lado de um colega de faculdade, Bill Gates. 

Shibuya observa que, no pôquer, o status tem seu valor, mas o que conta é o desempenho financeiro e o gerenciamento de risco. “A Microsoft nunca almejou inovação e riscos, como a Apple, mas acumula uma história de grandes resultados financeiros”, compara.

Enquanto isso, o Brasil ainda está atrás no placar. Pela instabilidade econômica que o país enfrentou por muito tempo, o brasileiro não está acostumado a pensar no longo prazo e comumente atribui o sucesso à sorte ou a um esquema eticamente questionável. “Ele considera o blefe uma trapaça, quando na verdade é um investimento ousado para afugentar competidores”, diz o professor, lembrando que a indústria cinematográfica aplica a estratégia do pôquer aos grandes lançamentos, ao anunciar a época em que serão exibidos antes de estarem prontos. “Dificilmente a concorrência lançará seu filme na mesma data. Mas essa estratégia só funciona quando se tem credibilidade”, explica.

Shibuya entende que a prática do jogo consiste em ver não só o que está à sua frente, mas também o que está ao lado e ao redor. “No Brasil, ainda prevalece a especialização profissional. A estratégia entende que o objetivo é harmonizar ao invés de conflitar, mas poucos empresários vislumbram esse cenário. São gênios comerciais, mas não sabem manter seu orçamento sob controle”, conclui. 

10 mandamentos do pôquer

1.    Sempre há risco; a questão é qual assumir.
2.    Quanto mais informações, menor o risco.
3.    Apostar mais do que deveria para ter o mesmo retorno é ineficiência.
4.    Deixou de ganhar quando poderia, perdeu dinheiro.
5.    Analise o ambiente. Identifique os competidores, as ameaças e as vítimas.
6.    Entenda a missão e o perfil de cada jogador: ele pode ser um cliente ou parceiro.
7.    Vislumbre os cenários possíveis e avalie suas consequências.
8.    Você sempre estará em busca de novas informações.
9.    Entenda e se interesse pelas pessoas que estão jogando com você. Mas pratique o autoconhecimento, entendendo qual a sua situação em cada cenário do jogo.
10.  Comunicação envolve gestos, entonação, ação, vestimenta e linguagem corporal.
HSM


Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...