14 de jul de 2009

Leon Tolstoi

O russo Leon Tolstoi, autor dos livros "Guerra e Paz" e "Anna Karenina", que continuam a vender milhões de cópias, aos 50 anos de idade passou por uma crise espiritual profunda. Definiu seus romances de tolices e surpreendeu o mundo ao doar seu patrimônio aos filhos e se dedicar para o resto da vida aos estudos filosóficos e religiosos. Escreveu em 1894 o livro "O Reino de Deus Está em Vós", que foi vetado pelo Czar e rendeu-lhe a excomunhão da Igreja Ortodoxa; em compensação, uma cópia chegou ao jovem hindu Gandhi, convencendo-o a adotar a não-violência como regra férrea de vida. O livro inspirado no evangélico Sermão da Montanha possui trechos que obrigam a meditar profundamente: "A libertação acontece sem lutas, não pela destruição das formas atuais de vida, mas pela modificação do conceito de vida". Continua: "O cristão (verdadeiro) não disputa com outro, não ataca o próximo, não usa de violência para com ninguém. Suporta a violência com resignação e, assim, se liberta e liberta o mundo de qualquer poder". Sua crítica coloca os poderosos na frente de um espelho para incomodá-los com vara curta, "Para conquistar o poder e conservá-lo, é preciso amar o poder. E a ambição não se harmoniza com a bondade, mas, ao contrário, com o orgulho, a astúcia e a crueldade. Sem a exaltação de si mesmo e a humilhação alheia, sem a hipocrisia e a esperteza, poder algum pode nascer ou conservar-se... Dominar significa violentar". Acrescenta: "As vantagens do poder e tudo que ele traz, as vantagens da riqueza e do luxo são os objetivos da atividade humana enquanto não atingidos; mas apenas os alcance, o homem apercebe-se de sua vaidade. Estas vantagens perdem assim, pouco a pouco, a sedução, como as nuvens, que não têm forma e esplendor, exceto se vistas de longe". Tolstoi segue afirmando uma verdade monumental que fugiu à maioria dos filósofos: "Os homens que conquistam o poder e a riqueza, por vezes eles próprios, mas com mais frequência seus herdeiros, deixam de ser muito ávidos de poder e não mais adotam métodos tão cruéis... havendo reconhecido a vaidade dos frutos da violência retornam (com o tempo) ao lugar dos oprimidos, substituídos por novos opressores, sempre menos rudes do que os precedentes". O velho Tolstoi filósofo conclui, "O poder escolhe e atrai os piores elementos da sociedade, transforma-os, melhora-os, suaviza-os e devolve-os a sociedade". E aí o que fazer? "Caminha!", respondeu o sábio (um dia chegarás). Vittorio Medioli

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...