10 de dez de 2011

Conquiste mais saúde sexual em 30 dias


Se você briga demais no trânsito, vive com dores aqui e ali ou pega resfriado fácil, atenção ao que vamos dizer: muitos desses incômodos podem ser prevenidos com uma boa noite de amor. 


Afinal, embora ele nem sempre tenha o crédito que merece, o sexo funciona como um poderoso mecanismo de proteção à saúde. Tanto que, para a Organização Mundial da Saúde (OMS), é um dos índices para medir a qualidade de vida.

"A atividade promove a liberação de endorfinas, substância que melhora o humor, aumenta a resistência à dor, ao estresse e a distúrbios psicoemocionais, como a depressão. Então, pode-se dizer que pessoas sexualmente bem resolvidas tendem a ser mais tolerantes e tranquilas no trato social", diz o ginecologista Nilson Roberto de Melo, presidente da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo). O resultado tem a ver com o ganho de autoestima que o encontro sexual provoca, nas duas partes envolvidas. 


Afinal, quem não se sente feliz por ser desejado? Como se não bastasse, o sexo também vale como um excelente exercício. Estima-se que, durante uma boa sessão de carinhos, cerca de 40 músculos do corpo se movimentem. A respiração e a circulação aceleram e o coração bate mais rápido. Portanto, se tomado como uma atividade regular, o sexo serve para aumentar a resistência física. E tem mais: a perda calórica pode chegar a 300 kcal em uma hora de atividade, o equivalente a uma caminhada em ritmo intenso! 


Passar mais tempo se divertindo sob os lençóis também pode ser excelente alternativa terapêutica para combater resfriados, crises hipertensivas, colesterol alto e até problemas cardíacos. Isso porque o sexo aumenta o nível de anticorpos ativos no organismo e ainda relaxa o corpo todo, até mesmo as artérias, facilitando a circulação. 


E se você ficou morrendo de vontade de testar esse novo método para revitalizar o corpo e a mente, aí vão 30 orientações para dar um impulso e tanto na sua vida sexual. Aproveite sem vergonha. Afinal, sexo é saúde! 


Dia 1 
Reveja seus conceitos 
O primeiro passo para garantir uma vida sexual plena é livrar-se dos tabus que acompanham o seu entendimento do tema. "O prazer faz bem e o sexo promove a saúde. Então, é preciso investir na qualidade dos encontros sexuais, não vale marginalizar essa importante dimensão da vida humana. Encarar o sexo como algo pejorativo é um erro que nos impede de usufruir dele como poderíamos e deveríamos", diz a educadora sexual Maria Helena Vilela. 


Dia 2 
Controle o estresse 
Marque, enfim, suas férias. Ou inscreva-se naquele curso de música que sempre quis fazer. Encontrar espaço na agenda concorrida para se divertir, é uma maneira eficiente de amenizar a tensão que faz parte da vida. Sua vida sexual também vai sair ganhando. Afinal, sempre cansado e com a cabeça cheia de problemas, é de se esperar que a frequência de relações sexuais despenque. 


Dia 3 
Apague o cigarro 
Além de ter um odor que não é nada atraente, o vilão compromete a capacidade respiratória e suas substâncias tóxicas aumentam a predisposição à formação de coágulos e a inflamações, fragilizando as paredes dos vasos. Tudo isso compromete seriamente a circulação e, por consequência, a resposta do corpo aos estímulos que permitem a relação sexual. 


Dia 4 
Conheça seu corpo 
Aprenda a dedicar mais tempo a si mesmo, observando seu corpo e especialmente as partes íntimas, se necessário, com a ajuda de um espelho. Tocar-se durante o banho, a sós ou ao lado do parceiro, também ajuda. "É fundamental conhecer suas zonas erógenas. Isso vai facilitar a conexão com o outro na hora do sexo", afirma o ginecologista Nilson Roberto de Melo. 


Dia 5 
Faça atividades de condicionamento 
Uma simples caminhada de meia hora, cinco vezes por semana, vai fazer maravilhas pela sua vida sexual. Além de aumentar a resistência física e de fortalecer os músculos, o exercício previne doenças crônicas, obesidade e ainda melhora a circulação. "A atividade física tem, ainda, um importante papel na saúde psíquica. Quem se exercita regularmente se sente mais disposto para o sexo, é menos estressado e apresenta uma autoimagem corporal muito mais favorável", explica o nutricionista, profissional de educação física e fisiologista Ricardo Zanuto, professor das Faculdades Integradas de Santo André (Fefisa). 


Dia 6 
Converse sobre sexo 
Saiu no Journal of Sexual Medicine: a capacidade de compreender os próprios sentimentos e de manifestar vontades foi a característica comum encontrada entre as mulheres que relataram ter prazer nas relações sexuais. E não por acaso. Afinal, ninguém vai para a cama com uma bola de cristal. "É fundamental promover o diálogo sobre sexo na relação. Os homens precisam ensinar às mulheres quais são seus pontos sensíveis e vice-versa, aceitando que sempre há muito que aprender nessa troca", indica Maria Helena. Agora, se pintar certa vergonha de tocar no assunto, do nada, o segredo é usar uma matéria de revista - como esta que você está lendo agora - como ponto de partida. 


Dia 7 
Fortaleça os músculos 
Atividades como o pilates e a ioga podem acarretar incríveis ganhos para a saúde sexual deles e delas. As duas práticas melhoram a capacidade respiratória, a resistência e a flexibilidade, além de trabalharem os músculos abdominais e da pelve. "Estudo publicado este ano pelo Journal of Sexual Medicine apontou que a prática regular de ioga promove aumento do desejo, da excitação, da lubrificação e favorece o orgasmo", diz Zanuto. 


Dia 8 
Cuide do peso 
A quantidade de gordura corporal interfere sobre a maneira como seu corpo vai produzir determinados hormônios que podem afetar a vida sexual. "A obesidade leva à produção excessiva de algumas citocinas pelas células de gordura. Essas proteínas, que servem à comunicação celular, podem afetar diretamente o metabolismo, aumentando os riscos de diabetes e da hipertensão, dois problemas que afetam a potência sexual e a libido", alerta Zanuto. 


Dia 9 
Maneire no Álcool 
Grande parte das pessoas usa a bebida para se desinibir nas relações sociais e acredita que ela possa ser um facilitador do encontro sexual. No entanto, a verdade é que, se exagerar na dose, você vai atrapalhar, e muito, a sua concentração na hora H. Como consequência, a ereção ficará mais complicada para os homens, enquanto as mulheres terão mais dificuldade em sentir excitação. Para piorar, o uso crônico pode levar a lesões irreversíveis do sistema vascular e do sistema nervoso. 


Dia 10 
Fique de olho nos seus remédios 
Medicamentos para o tratamento do diabetes, da hipertensão e da depressão, entre outros, podem ocasionar efeitos colaterais como uma baixa na libido, entre as mulheres, e a dificuldade para conseguir e manter a ereção, nos homens. "Em grande parte dos casos, é possível fazer a substituição dos remédios por outros de igual ação, porém, com menos efeitos adversos. O ideal é consultar seu médico a respeito", aconselha o urologista Oskar Kaufmann, do Hospital das Clínicas de São Paulo. 


Dia 11 
Monte um prato colorido 
Optar por refeições balanceadas, em vez de se entregar às guloseimas, vai garantir energia extra para as atividades diárias, incluindo a sexual. "Quem faz dietas restritivas, pobres em carboidratos, pode apresentar fadiga e pouca disposição para o sexo", explica Melo. A carência de ferro é outro exemplo de distúrbio capaz de afetar a vontade de ter e dar prazer. 


Dia 12 
Abra o apetite 
O número de estudos cerca dos alimentos ditos afrodisíacos ainda não nos permite chegar a conclusões definitivas sobre a sua real ação no organismo. Para Nilson de Melo, o importante é encontrar os pratos que aumentem a energia e a disposição para o sexo, caso a caso. "As reações no organismo podem ser diferentes. Então, é interessante que cada um descubra o que lhe desperta mais bem-estar e invista nisso", defende. 


Dia 13 
Consulte seu relógio Biológico 
Quem disse que as relações sexuais devem acontecer sempre à noite? "Deixar a atividade sempre no último lugar, na lista das suas prioridades, e se disponibilizar para o sexo apenas quando estiver exausto é um erro. Nessas condições, é bem provável que o casal faça um sexo menos elaborado e desinteressante", alerta a psiquiatra Carmita Abdo, autora do livro Descobrimento Sexual do Brasil (Summus). Então, que tal testar a sua disposição em outros períodos do dia e perceber como é o seu rendimento e o do parceiro? Pode ser que, pela manhã, depois de um sono revigorante, vocês desfrutem mais dos momentos de prazer. 


Dia 14 
Hora das preliminares 
Se estiver em uma relação estável, o segredo para manter acesa a chama do desejo é investir nas preliminares. Mas não apenas no momento do sexo. As preliminares podem ser um jantar romântico a dois, uma boa massagem ou mesmo uma dança de rostinho colado. Manter uma convivência cheia de cumplicidade também ajuda. "Sentir-se querida, não apenas quando o companheiro quer se relacionar sexualmente, é fundamental para as mulheres", adverte a educadora sexual Maria Helena Vilela. 


Dia 15 
Monitore seus hormônios 
Desequilíbrios da tireoide e da glândula suprarrenal podem afetar de maneira importante a atividade sexual. "Em ambos os casos, a pessoa não se sentirá bem e disposta para o sexo. Ou estará ansiosa demais ou desanimada além da conta", explica a endocrinologista Maria Angela Z. Marino, professora da Faculdade de Medicina do ABC. 


Dia 16 
Esqueça as cobranças 
 Mulheres não devem se sentir na obrigação de estar sempre disponíveis para o sexo assim como homens também não precisam inculcar com a apresentação de um desempenho sexual incansável. Os momentos de intimidade entre o casal não dependem disso e podem ser saboreados se não houver tanta preocupação com regras e padrões e, sim, em corresponder aos desejos de cada um. "A qualidade é muito mais importante do que a quantidade", garante o ginecologista Nilson Roberto de Melo. 


Dia 17 
Não descuide da aparência 
Já deu para perceber que sexo e autoestima têm tudo a ver, não? Pois é. Vem daí a importância de cultivar bons hábitos e de fazer um investimento em você, para sentir-se confortável, ao menos, todas as vezes em que se deparar com um espelho. "Pessoas que estão bem com a sua aparência se sentem mais seguras e isso reflete na busca pela realização em todas as áreas da vida, incluindo o sexo", diz o ginecologista Nilson Roberto de Melo. 


Dia 18 
Faça um check-up básico 
Qualquer tipo de problema que afete os órgãos sexuais, evidentemente, é um inimigo em potencial do prazer na relação. Daí a importância de marcar uma visitinha ao especialista - o ginecologista, no caso das mulheres e o urologista, no caso dos homens -, pelo menos uma vez por ano. "O tratamento precoce de qualquer problema previne complicações que podem trazer danos irreversíveis" alerta a ginecologista Carolina Carvalho Ambrogini, coordenadora do Projeto Afrodite de Sexualidade Feminina na Unifesp. 


Dia 19 
Escolha bem as gorduras 
Batatas fritas, sorvetes e até mesmo aquela picanha suculenta, quando consumidos em excesso, podem estar roubando o seu prazer. O caso é que as tais gorduras trans e saturadas favorecem o entupimento das artérias, dificultando a circulação. A circulação, por outro lado, tem relação direta com o desempenho na relação: é ela que permite a ereção, no homem, e a lubrificação, na mulher. 


Dia 20 
Saia da rotina 
Cuidado para não tornar a sua relação sistemática demais, até no que diz respeito ao sexo. Encontrar novas maneiras de estimular e de ser estimulado aumenta a motivação para o encontro sexual e garante muito mais prazer. "Para quebrar a monotonia, nem sempre é preciso diversificar a parceria. Vale variar as situações, os locais, os horários para o sexo. Quanto mais imprevisível a relação, mais interessante", comenta Carmita. 


Dia 21 
Acompanhe suas taxas 
Tanto o colesterol alto quanto a pressão desregulada prejudicam a circulação e, consequentemente, a atividade sexual. Já o diabetes pode causar danos vasculares e nervosos de difícil tratamento. "Acreditamos que a doença seja uma das principais causas de disfunção erétil , 35% a 50% dos diabéticos apresentam o problema", adverte Oscar Kaufmann. 


Dia 22 
Contorne as limitações com criatividade 
É natural que, especialmente com o passar da idade, o desempenho sexual sofra baixas. Porém, isso não deve servir como desculpa para abrir mão do prazer proporcionado pela atividade. A perda de flexibilidade, por exemplo, deve motivar a busca de posições diferentes. "É aceitável que se diminua o número de relações, pois a disposição, em geral, não é mais a mesma. Porém, isso não leva à perda da qualidade, ao contrário, livre da ansiedade dos tempos da juventude, o sexo, na maturidade, pode ser ainda mais intenso", afirma o ginecologista. 


Dia 23 
Proteja-se 
 A Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), em parceria com o Ibope, realizou uma pesquisa com 500 usuárias de pílula anticoncepcional, de idade entre 15 e 45 anos, em cinco das principais capitais brasileiras. No levantamento, 29% das mulheres disseram ter maior frequência sexual justamente por contarem com um método anticoncepcional. "Não há dúvidas de que a sexualidade está também ligada a fatores emocionais como a sensação de liberdade, a ausência do medo de contrair doenças ou de engravidar", comenta o ginecologista Nilson Roberto de Melo, presidente da entidade. 


Dia 24 
Prepare-se para o sexo 
É essencial criar um clima propício para a entrega. Colocar uma música suave, escurecer o quarto e desligar a TV podem ser boas maneiras de "avisar" o corpo que é chegado o momento de desacelerar. Esses cuidados também favorecem a concentração, fundamental ao envolvimento na hora H. 


Dia 25 
Aceite as diferenças Os homens são mais genitalizados, enquanto as zonas erógenas da mulher são dispersas. Para a psiquiatra Carmita Abdo, é importante tentar acertar os ritmos. "Enquanto a mulher precisa de mais tempo para se sentir excitada, o homem é mais rápido. Então, é preciso que um esteja conectado ao outro, para que ambos se satisfaçam" 


Dia 26 
Aproveite os momentos 
O orgasmo é uma consequência. Porém, se esse for o único objetivo na relação, todo o processo ficará prejudicado por conta de tanta ansiedade. Do mesmo jeito, se preocupar com as reações do parceiro ou mesmo com as contas a pagar vão mandar seu desejo embora rapidinho. Então, no momento do encontro sexual, procure não pensar em nada e concentre-se apenas nas sensações. 


Dia 27 
Faça só o que você quer 
Segundo Maria Helena, é melhor deixar claros os seus limites do que fazer concessões de vez em quando, criando expectativas irreais no outro. "Para manter uma boa saúde sexual, fazer o que se tem vontade e não fazer o que não se tem vontade são duas escolhas que têm o mesmo peso. Não há nada que justifique o fato de ir contra um valor ou um desejo seu", garante. 


Dia 28 
Use recursos Com o avanço da idade, a lubrificação na mulher pode diminuir muito. Nos homens, o problema principal é a dificuldade de conseguir e manter a ereção. E, em ambos, a falta de desejo compromete a vida sexual. Porém, felizmente, muitos destes obstáculos podem ser contornados com acessórios, produtos e até mesmo medicamentos. 


Dia 29 
Tenha prazer 
É fundamental que o parceiro termine a relação tão feliz quanto você. Porém, não vale pensar apenas em satisfazê-lo. Conhecer seus gostos, comunicá-los e dar vez às suas fantasias é tão importante quanto permitir que o companheiro faça o mesmo. "Tudo é permitido no sexo, desde que se evite situações de risco", diz Maria Helena. 


Dia 30 
Preocupe-se menos com as regras 
E mais com o seu prazer. Afinal, não existe um método ideal para o sexo. 


"O importante é obter satisfação na relação. E o que é satisfatório para um pode não ser para o outro. Por isso não falamos em número mínimo e máximo de relações e nem na obrigatoriedade do orgasmo", explica a ginecologista Carolina Carvalho. 
Rita Trevisan - Revista Vivasaúde

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...