1 de nov de 2008

As tradições no mundo


Na Irlanda, a comunidade rural Inis Beag é considerada uma das mais conservadoras do mundo. 


Quem pratica masturbação ou exploração recíproca do corpo é punido. 


A nudez é desaconselhada mesmo durante as relações sexuais. 


Não há namoro, noivado e troca de carinhos. O casamento tem uma função apenas reprodutiva.

Havia uma tradição que caiu em desuso na Itália. Depois da noite de núpcias, o marido pendurava o lençol na janela como prova de que tinha tirado a virgindade da mulher.

Na tribo Tonga, em Moçambique, o beijo é considerado repugnante, pois há contato com a saliva de outra pessoa. As mulheres esticam seus pequenos lábios na tentativa de alongá-los, pois esse detalhe excita bastante os homens. Os homens praticam a poligamia, dando preferência ao casamento com irmãs entre si.


Na Nova Guiné, os Baruya tratavam o esperma como uma poção mágica. A noiva era obrigada a beber o sêmen do futuro marido antes do casamento. Desse modo, dizia a tradição, ela desenvolveria melhor os seios e teria leite em abundância. As mulheres tomavam esperma sempre que tivessem alguma doença depois. Os adolescentes também bebiam esperma para serem considerados adultos. Não podia ser o sêmen de nenhum homem casado, pois eles acreditavam que o contato com as mulheres poderia ter fragilizado o doador. A doação deveria vir de um homem virgem quase em idade de casar. Era proibido beber o sêmen de algum parente.

Os casamentos na tribo Tikopia, na Polinésia, são feitos à força. O pretendente seqüestra a garota da casa do pai e a leva para uma festa, onde anuncia o casamento. A mulher é forçada a consumar o casamento em público.

A cerimônia de casamento da sociedade Kamchadal, na Sibéria, é um tanto esquisita. Para tornar a união legal, o noivo deve tocar a vulva de sua futura esposa. Só que, antes, ele precisa capturá-la. Se a mulher concorda com o casamento, a perseguição até que é fácil. Do contrário, ela conta com a ajuda das outras mulheres da aldeia, que fazem de tudo para desencorajar o pretendente.

Um povo chamado Ila que vive no Zâmbia tem alguns hábitos que merecem ser mencionados. A noiva deve raspar todos os pêlos pubianos e também o queixo de seu marido depois de consumado o casamento. Os homens devem evitar relações sexuais antes de uma expedição de caça. As mulheres que mais fazem sucesso são aquelas com umbigos grandes e saltados.

"O Inferno são os outros"
Jean-Paul Sartre

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...