19 de nov de 2010

Mitos e Lendas : Paul is Dead

O mundo da música é recheado de histórias e estórias, principalmente quando abordamos o Rock and Roll. São fatos e lendas, mitos e boatos, que muitas vezes acabam se misturando, e aí, fica difícil separar a verdade da mentira. Ainda mais quando falamos de pessoas tão próximas em nossa cultura, mas ao mesmo tempo tão distantes em termos de localidade. As lendas em torno dos Beatles são inúmeras. A história, que diz que o baixista dos Beatles estaria morto é talvez uma das mais famosas ‘conspirações’ no mundo do rock, e por conseqüência a mais discutida nos meios.
Milhares de pessoas acreditam que Paul McCartney estaria morto desde o início da década de 60. Reza a lenda que Paul teria falecido em um grave acidente automobilístico, na Inglaterra, que o decapitou. Para que o sucesso do grupo não fosse abalado diante da falta do integrante original, foi escolhido um sósia para tomar seu lugar, em 1966. Fato ou lenda, o que torna a história mais intrigante são as supostas ‘dicas’ inseridas pelo grupo nas capas dos álbuns.
Na capa do disco “Sgt. Peppers” é possível observar uma mão aberta sobre a cabeça de Paul, enquanto que seu baixo está rodeado de flores.
Como se não bastasse, os mais aficcionados pela tal história garantem que se colocarmos um espelho no bumbo, deixando transparecer apenas a metade superior da frase ‘Lonely Hearts’, a frase se transforma em ‘He Die’ (algo como ‘Ele Morre’).
Nesta mesma capa ainda aparecem flores formando o nome ‘Beatles’ em vermelho. Em baixo estaria um caixão. Mas o mais surpreendente são as flores amarelas, na forma de um Contra-Baixo, instrumento de Paul.
E está disposto de forma contrária, uma vez que Paul era [sic] canhoto. Alguns também identificaram a letra ‘P’.
A obsessão dos fãs pela história de que Paul estaria morto ganhou proporções gigantescas, tendo se transformado em livros, filmes, documentários e até mesmo dossiês.
O grande ‘responsável’ pela teoria foi um DJ de uma rádio de Detroit, que afirmou que Paul fora substituído por um sósia chamado William Campbell, escolhido pelo grupo, por ter um grande talento com o instrumento. O fato [sic] foi divulgado em 1969 e se alastrou pelo mundo. Até mesmo no Brasil, em outubro de 2000, a Mostra Internacional de Cinema em São Paulo apresentou o filme ‘Paul is Dead’. Outra referência à morte de Paul estaria na capa de “Abbey Road” (foto). A imagem do álbum traz os quatro Beatles atravessando uma avenida, em uma faixa de pedestres.
Segundo análises, a figura dos Beatles andando em linha simbolizaria o funeral de Paul. John Lennon aparece na frente, vestindo branco. Ele então seria o padre ou o médico. Ringo Star, em segundo, trajando preto, seria o agente funerário. Paul, de paletó, seria o falecido, enquanto que George Harrisson, vestido informalmente, seria o coveiro. Como se pode observar na figura, um carro está disposto bem na direção de Paul. Na Inglaterra, como a posição de direção é na esquerda, o carro então já o teria atingido.
O carro de polícia parado na rua dá parece atender alguma ocorrência, no caso, um acidente de trânsito. Porém três fatos chamam maior atenção dos ‘pesquisadores’ da história:
Paul sendo canhoto está segurando um cigarro em sua mão direita. Na Inglaterra, os mortos costumam ser sepultados descalços. Paul é o único que ‘desfila’ sem sapatos. Seus olhos estão fechados.
Além disso, existem outras referências estranhas, como a inscrição da placa de um fusca branco: LMW 28IF. As letras iniciais significariam algo como “Linda McCartney Weeps” (Linda McCartney Chora) ou “Linda McCartney Widow” (Linda McCartney Viúva). Os números, seguidos das iniciais “IF”, seriam uma menção à “28 years IF alive” (28 anos SE vivo). Em uma parede onde está escrito “Beatles – Abbey Road” aparecem alguns furos. Se ligados, os furos formam o número 3, dando a entender que seriam então ‘3 Beatles’. Em outro álbum, “Magical Mystery Tour”, uma foto do encarte traz os quatro Beatles vestindo paletós brancos. Na lapela de três deles pode-se observar um cravo vermelho. Um único cravo preto está na lapela de Paul. Existem outras diversas referências a esta lenda, como falas em músicas, ou trechos que, quando reproduzidos inversamente reproduzem frases alusivas à suposta morte de Paul McCartney. É claro que existe muito fanatismo em tudo isso, mas são no mínimo estranhas tantas referências inseridas nas obras dos Beatles sobre tal história. Paul McCartney está hoje com 68 anos. Se for ele ou não, tudo depende de sua crença. Os Beatles sempre negaram tal fato, mas, com toda certeza, não deixaram de se divertir com a história
Fernando Pineccio (adaptado)

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...